5 praias que vão querer visitar no Algarve

by - 30.6.16



Com a chegada do verão meio país ruma a sul na expectativa de ter umas férias de sonho (o que é óptimo porque faz isto ganhar outra vida). Contudo, tenho reparado, já desde algum tempo, que quando se fala do Algarve na TV automaticamente mostram imagens da calçada e da praia de Quarteira, como se a região se resumisse a isso. Quarteira é cool, é prático ter a praia logo ali à mão de semear e prédios plantados junto ao mar mas o Algarve é mais do que isso e o melhor, na opinião de quem nasceu e cresceu por aqui (eu, neste caso), não passa por aí. Portanto, temendo pela qualidade das vossas férias (e porque sou amiga), deixo-vos aqui uma lista das cinco praias que devem impreterivelmente conhecer se fizerem uma escapadinha de verão cá para estes lados. Não vos vou indicar praias no barlavento porque apesar de paisagisticamente serem fantásticas tendem a estar atolhadas de gente, muitas vezes com pouco espaço no areal (devido ao perigo de derrocadas das arribas) e as águas são, indubitavelmente, geladas.

Ancão
Fica ali para os lados da famosa Quinta do Lago (o gueto dos ricos, como gosto de lhe chamar). Por aqui encontrarão mais estrangeirada for shore! É uma das minhas preferidas para aqueles lados e em termos de localização ela é mais central do que as restantes que vos apresento. Inclui-a na lista porque para quem fica hospedado para os lados de Albufeira, Loulé e Faro pode ser uma boa opção face a outras praias sempre mais atoladas de gente. O acesso ao Ancão faz-se no último quilómetro por um caminho de pó, mas não desistam porque vale a pena. Pode-vos ser mais fácil procurar as placas que dizem Garrão, uma praia vizinha, mas na verdade ficam lado a lado e são as duas dentro do mesmo género. Como a maior das praias do Algarve tem uns barzinhos de praia, areia branca e água cristalina. Se caminharem um pouco pelo areal conseguem encontrar poiso longe do aglomerado de gente. Inconvenientes? Sujamos o carro na certa no acesso à praia, não vendem bolas de berlim e dificilmente arranjam estacionamento à sombra. Ainda assim gosto de lá ir de vez em quando pelo acesso à praia que é um dos mais toscos, mais bonitos e mais "ar de praia" que já encontrei para aqueles lados, com uma passadeira de paus desgastados pelo tempo, de uma cor cinzenta clara a combinar na perfeição com a areia esbranquiçada.  Tem também um restaurante/café todo catita que convida à descontracção total.

Culatra
A Culatra é uma Ilha (já a mencionei anteriormente como podem verificar aqui e aqui). O que vos vou dizer em seguida pode parecer desencorajador mas a verdade é que para chegar a esta praia têm que conduzir até Olhão, arranjar estacionamento (ao fim de semana é um inferno), comprar um bilhete para uma viagem de ida de quarenta e cinco minutos pela Ria Formosa, atracar na Ilha e percorrer cerca de dois quilómetros a pé até chegar à praia que fica a sul. Porque é que me dou a esse trabalho e acho que vocês também deviam fazê-lo? Porque pouca gente o faz. Porque chegamos a uma praia de águas verdadeiramente cristalinas (as mais cristalinas de todas) onde facilmente nos encontramos sozinhos com a Natureza. Porque a viagem de barco é fantástica (a menos que tenhamos o azar de ficar encalhados ou de avariar o motor do barco - pode acontecer, mas é raro e é divertido). Dou-me a esse trabalho porque por toda a ilha se respira um ambiente familiar, acolhedor, descontraído e diferente onde não temos outro remédio senão relaxar e deixar-nos levar. É uma experiência que vale a pena ter, acreditem. Talvez a Culatra seja o maior segredo de todos e estou a partilhá-lo convosco. :)













Fábrica
Foi considerada no ano passado uma das quinze melhores praias do mundo por uma revista espanhola e eu atesto porque já antes disso me tinha rendido. A Fábrica é um pequeno (pequeníssimo) aldeamento com algumas casas e uns poucos cafés e restaurantes. Fica localizada mesmo aos pés da Ria Formosa. Se atravessarmos a Ria chegamos à praia, uma língua de areia não vigiada (o que já sabem, requer cuidados redobrados ao entrar no mar). Lá, na praia, não encontrarão nem cafés, nem sombras, nem nada. O acesso pode-se fazer a pé pela Ria na maré baixa ou em pequenas embarcações conduzidas por uns senhores sempre bem dispostos e com a pele esturricada pelo sol. São daquelas pessoas conhecedoras das agruras da Ria e disponíveis para conversar durante a viagem se vocês estiverem para aí virados. Custa para aí dois euros a ida e volta. Em cinco minutos (talvez menos) vos colocam no outro lado da Ria e têm toda uma praia por vossa conta. 

Manta Rota

O Sérgio diz que já tenho lugar marcado por lá. Tem bom estacionamento, bons acessos, um areal muito extenso onde podemos escolher estar mais longe ou mais perto do mar, mais longe ou mais perto das pessoas. Por lá vendem as melhores bolas de berlim com creme, a água tem uma temperatura muito amena e a a maré baixa transforma a praia, ganhamos ainda mais espaço para jogar, caminhar e estar à vontade. Fica pertíssimo da Fábrica e entre uma e outra encontram um outro local que vale a pena visitar não só pelo património arquitetónico como também pela vista privilegiada da Ria Formosa: Cacela Velha.



Barril

Também já mencionei esta praia aqui. Acho o Barril uma praia inspiradora pela história que representa em si e que diz muito sobre as atividades económicas do Algarve ligadas à pesca, nomeadamente de atum. Pois bem, o Barril, antes de ser uma das práias mais in desta zona, situada no aldeamento turístico do Vale do Garrão, era um aglomerado de casas ocupadas por pescadores de atum. Onde agora vão encontrar cafés, restaurantes e lojas, antes havia habitação. É uma praia muito particular por dois motivos: as locomotivas que fazem o transporte de pessoas até à praia e as âncoras que guardam as dunas protegendo-as da ação devastadora da chuva e do vento.



Nos tempos áureos da pesca o Algarve era uma zona de rotas de atum e o aldeamento na praia do Barril foi lá construído para albergar as famílias que se dedicavam a essa atividade sazonalmente. Na altura não havia locomotivas e o acesso à praia fazia-se a pé e com mulas que transportavam as costas tudo o que fosse preciso. As âncoras que durante a pescaria sustinham, imersas, as redes para captura do atum, entre uma época de pesca e outra, eram recolhidas e puxadas pela força dos braços dos homens (e talvez com a ajuda dos animais) para cima das dunas. O vento tapava-as de areia e isso permitia que ficassem menos expostas à erosão pela água e vento. Em simultâneo, as âncoras protegiam as dunas contribuindo para a fixação de areia. Ainda hoje permanecem lá, como fieis guardiãs das histórias daquela praia e por mais que já tenha ido lá muitas vezes ainda acho que são mesmo algo que vale sempre a pena ver.


Já agora querem saber porquê o nome Barril? Porque as redes eram lançadas ao mar, ficavam fixas pelas âncoras no fundo mas precisavam manter-se à tona para bloquear o caminho do atum. A cortiça era o material flutuante utilizado para esse efeito mas representava uma matéria prima difícil de arranjar quando se está tão perto do mar. Foi então que descobriram a capacidade flutuante dos barris e voilá, já está! :)

Então, ficaram com vontade de visitar alguma, ou já conhecem? E que outras praias (do país) recomendam?

You May Also Like

15 comentários

  1. Sou sincera, não gosto muito do Algarve mas gostava de visitar Lagos, que dizem que é lindíssimo!
    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é lindíssimo. Ultimamente está demasiado turístico para meu gosto (o que descaracterizou um pouco a cidade), mas tem paisagens e praias incomparáveis. Pena a água ser tão fria! :)

      Eliminar
  2. Dessas praias, so conheco a de Manta Rota e tambem gosto muito. Pessoalmente, gosto muito da Praia da Luz (pequena e simpatica) e acho a Praia do Camilo das mais bonitas a que ja fui (pena e' ter tanta escada) :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Luz sim, é simpática. A do Camilo não conheço, vou pesquisar ;)

      Eliminar
  3. Não me importava nadinha de passar por todas elas!


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então na próxima oportunidade já sabes... ;D

      Eliminar
  4. Que bonitas! Este ano não fico em Portugal de férias mas sem dúvida que essas praias me fazem querer rumar já ao Algarve :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não faltarão oportunidades certamente :)

      Eliminar
  5. Gosto imenso do Algarve e quase todos os anos vou ai dar um saltinho as praias tão bonitas e maravilhosas.
    Mas confesso, não conheço de numa dessas :( Quiçá numa próxima visita.


    Blog - Desabafos e Coisas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então já tens inspiração para explorar algumas delas! :D

      Eliminar
  6. Não conheço nenhuma das praias propostas mas das vezes que fui de férias para o Algarve não gostei nada da Quarteira e adorei a Praia do Evaristo! Espero voltar para conhecer as tuas propostas :)

    ResponderEliminar
  7. Toda a extensão de praia desde Vila Real de Santo António até à Praia Verde! Adoro! O areal é imenso, especialmente em maré vazia, e facilmente se arranja espaço longe da confusão! Se bem que sou suspeito, pois é em Vila Real que eu moro. :P Mas fica a dica.

    ResponderEliminar