6 on 6 | Dezembro 2016 [and it's time to say goodbye]

by - 6.12.16

1. Fruta

O mês sem tema. O mês que poderia ter todos os temas. O último mês.


Faz hoje precisamente um ano que anunciávamos, nos nossos blogues, o início deste 6 on 6. Doze meses e setenta e duas fotos depois cá estamos, desta vez para dizer ao mundo que este projeto fotográfico chega ao fim. Não faz mal, é mesmo assim e o fim de uma etapa pode representar o início de outra. Está subjacente à ideia de projeto o princípio de que tem um tempo limitado, e por vezes esgotamo-nos nos desafios que impomos a nós mesmos, por isso é preciso saber dizer adeus, fechar a porta, refletir sobre o bom e o mau e seguir em frente. Nós, que nem tínhamos ideia de quanto tempo isto ia durar, e fomos um pouco ao sabor do vento, terminamos com a mesma coerência e concordância com que iniciámos. Até nesse sentido tem sido perfeito.

2. Cozinha



Este mês optámos por um tema livre, havendo ainda uma temática diferente para cada foto. Eu, pessoalmente, coloquei um desafio adicional a mim mesma, porque senti que foi algo que acabei por explorar pouco durante o 6 on 6 (e que me faz falta experimentar muito mais): fotografar indoor e criando o meu próprio setting. Pois bem, foi o que fiz, até porque a chuva tem sido uma constante nos fins de semana e não há muitas brechas para andar na rua a fotografar. Além disso, queria que o 6 on 6 terminasse com um certo ar de serenidade e que fosse algo muito pessoal, muito meu. Com tudo isso em mente, arranjei nada mais, nada menos do que uma fronha branca, coloquei-a no chão ou em cima da mesa mais próxima das janelas com maior incidência de luz natural, e diverti-me a captar alguns dos ingredientes que compõem o meu dia-a-dia. Na verdade desta vez fiz o exercício contrário: escolhi os objetos e depois de olhar para eles e de refletir sobre o que significam para mim, é que lhes atribuí um tema.

Escolhi o mote fruta, na primeira foto, porque apesar de estar sempre com a mania de ser saudável, a verdade é que sou muito mais menina para comer legumes do que frutos, principalmente no inverno em que considero a fruta da época muito desinteressante. Contudo, este ano comecei a incorporar a fruta nos meus cozinhados, sobretudo nas saladas, e isso fez-me ganhar um interesse renovado por ela.

3. Mimo





Os temas cozinha e mimo quase que poderiam ser um só, na minha perspetiva. Gosto muito de cozinhar e acho um ato fantástico de amor pelos nossos esse de preparar uma refeição de raiz. Cozinho com carinho, dou por mim a sorrir com os cheiros, adoro os pequenos detalhes que incorporo nos pratos, a diversidade de cor proporcionada pelos alimentos, divirto-me a preparar os temperos com o almofariz... enfim, sou feliz na cozinha e a cozinhar. E sou feliz a mimar, a fazer pequenos gestos que parecem simples, mas podem significar muito e transformar mesmo o dia de alguém. A questão do mimo e dos afetos é mesmo uma parte muito importante de mim (ainda que não seja propriamente fã de beijos e abraços, o que faz que o mimo para  mim seja muito mais do que essas manifestações físicas de afeto pelo outro). Na verdade o mimo pode surgir de muitas formas e eu gosto de as ir explorando. :)

4. Ritual


Gosto de rituais. Os que criei para a minha vida são essenciais, fazem-me bem e têm muitas vezes que ver com fazer o que gosto, com quem gosto, ou com uma das minhas companhias preferidas: eu mesma. O tempo pára para me aquecer a bebericar uma bebida quente e a folhear um livro ou uma revista é para mim uma boa forma de relaxar. Ou o ir pontualmente lanchar com uma amiga para pôr a conversa em dia. Ou reunirmos o grupo de amigos para um jantar descontraído. Ou o passear com a bicharada na hora de almoço para aproveitar o sol de inverno. Rituais são para mim pequenos momentos de prazer em que recarrego baterias e me desligo das ânsias do dia-a-dia, focando-me no que gosto mesmo, mesmo de fazer. 

5. Rotina


A rotina. Preciso dela tanto quanto me farto dela. Temos esta relação tumultuosa. Gosto dos pequenos aspetos dela que me dão um certo equilíbrio: acordar à mesma hora, saber para onde tenho que ir naquele dia, exercer o ritual de beleza matinal, saber que no fim do dia vou poder relaxar em casa ao pé da lareira, ou ver a série na tv que dá sempre à mesma hora, ou ir para a aula de zumba ou pilates... contudo, farto-me dela porque preciso de lhe ir incorporando dias diferentes, novidades, motivações adicionais, novos inputs para mim mesma, caso contrário sinto-me entediada. Resumindo, gosto dela, preciso dela, mas não me deixo esmagar, nem aprisionar por ela. 

6. Fetiche

























Quando falo aqui em fetiche não é no sentido da psicologia, com uma conotação sexual, mas sim no sentido sociológico (lembrando Karl Marx). Os sapatos (calçado em geral) são, atrever-me-ia a dizer, o meu fetiche, e nutro por eles uma espécie de adoração. Não há-de ser novidade para quem me conhece. A verdade é que divirto-me com eles e acho que são muito mais do um mero objeto utilitário que nos protege os pés das agressões externas. Para mim são uma mensagem para o mundo e dizem muito de quem os calça, muito mais do que os outros adereços que usamos. Não é à toa que têm o poder de transformar algo como um blazer numa peça casual, se calçarmos uns ténis, ou numa peça formal, se usarmos uns saltos. Os sapatos têm esse poder de nos transformar, de nos posicionar nas situações, e é por isso que os acho tão fantásticos. 

E agora estou para aqui a pensar que temas terão escolhido as minhas 6 on 6 partners. Vamos lá espreitar? :)

You May Also Like

12 comentários

  1. Que maravilha! E safaste-te tão bem nesta abordagem indoor! Gostei particularmente da "Mimo" - da fotografia e do texto, identifico-me tanto contigo :)

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Jiji. Também me identifico contigo (já te devo ter dito isso p'rai umas 300 vezes!) lol

      Eliminar
  2. Uau Vânia, o resultado foi hilariante, adorei! Estiveste o 6 on 6 quase todo a dizer que não tens jeito para fotos elaboradas mas afinal até tens muito mais que imaginas. Gostei do denominador do branco em todas as fotos e da luminosidade. É dificil escolher uma favorita desta colecção linda mas penso que a fruta e o mimo, são as que gosto mais.

    Disseste tudo nesse primeiro parágrafo, e embora tenha sido um projecto tão bonito que nos fez sair da caixa, esta foi a hora certa para parar, para quê esgotar algo tão fenomenal? Estás de parabéns, penso que de todas foste quem evoluiu mais e os textos continuam fantásticos.

    *SORTEIO DO LIVRO EPIC BLOG*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas tuas palavras Marta e por nos desafiares a fazer isto. Foi tão fantástico e estamos todas de parabéns. Que viagem! ;D

      Eliminar
  3. Fiquei emocionada com o teu primeiro parágrafo, confesso. Este desafio é algo que vou, sem dúvida nenhuma, guardar no coração. Adorei partilhá-lo convosco. Para além da evolução fotográfica (espero eu) senti que formámos uma espécie de comunidade e isso é tão bom. :)

    Quanto às tuas fotos deste mês, adorei! Acho o máximo serem todas esteticamente consistentes e um pequeno vislumbre do teu mundo e das coisas que compõe os teus dias. :*

    Joan of July

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que sim, todas evoluímos e também acredito que foi um óptimo pretexto e incentivo para sairmos da nossa zona de conforto e experimentar formas diferentes de fotografar. E foi tão bom o backstage, o planeamento de tudo isto no facebook. Muito bom, sem dúvida.

      Eliminar
  4. Que fotografias lindas. :) Adorei seguir o 6 ON 6, espero que voltem para o ano com novas ideias e projectos. :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já andamos a "cozinhar" qualquer coisa. :) Fica atenta!

      Eliminar
  5. Estão tão giras as fotos! Já acabou o desafio? Que pena, gostei bastante de acompanhar!

    ResponderEliminar
  6. Pois, parece que nós as duas tentamos explorar algo que não estamos tão confortáveis. Acho que pensamos de forma semelhante muitas vezes :P Tal como tu, também tenho alguma dificuldade em fotografar indoor e criar um cenário, um ambiente. A casa onde vivo não tem muita luz e, agora no Inverno, fica ainda pior. Tenho de tentar perceber a melhor forma de tirar partido do que tenho para umas fotos decentes. Tu safaste-te muito bem! Adoro a luz em tooooodas as fotos :D gosto imenso da foto da cozinha, parece que tem vida própria. A cor vibrante da romã também está linda! Gostei do que disseste no texto da foto "mimo". Identifico-me mesmo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a questão da luz (ou a falta dela) é mesmo o maior problema na fotografia indoor. Felizmente podemos sempre fazer edição das fotos para melhorá-las um pouco se a coisa não corre tão bem. :)

      Eliminar